sábado, 25 de agosto de 2012

Geração Z


Geração Z
Por Daniel Portillo Serrano - 17/07/2010

        Classificar gerações de épocas específicas e nomeá-las tem sido um hábito comum desde o Século passado. Baby Boomers, Milennials, Yuppies, e outras denominações tem aflorado na literatura para se referir a uma determinada geração.
       Diferentemente de classificação por idades, sexo ou renda, como por exemplo, adolescentes, adultos, ricos, pobres, homens e mulheres, a classificação por gerações se apresenta mais correta para definir alguém, mesmo com o passar dos anos.
     Se não, vejamos. Hoje, uma pessoa de 13 anos com uma renda alta poderá ser classificada como um adolescente pertencente à classe “A”. Isso não quer dizer que dentro de 30 anos, esta mesma pessoa continue sendo um adolescente (já que terá, então 43 anos) nem continuará pertencendo à classe “A” (já que poderá ter, por exemplo, empobrecido).
     Já as gerações permanecem com suas denominações, independente de mudanças pessoas, de idade ou de renda.
     Algumas denominações atuais tem usado as letras do alfabeto. Assim, a Geração X se refere aos filhos dos Baby Boomers da segunda guerra mundial e a geração “Y” se refere aos filhos da geração “X”. Leia mais sobre gerações no artigo “Geração X, Geração Y, Geração Z. ”.
Uma nova denominação está sendo utilizada para uma geração cada vez mais presente e atuante no mercado: a geração “Z”. Ao contrário do que possa parecer, no entanto, a Geração Z não é formada pelos filhos da Geração Y. A letra Z indica uma geração de indivíduos preocupados, cada vez mais com a conectividade com os demais indivíduos de forma permanente.
     Assim, se as gerações anteriores se conectavam com o seu mundo através de um computador de mesa, a nova geração passou a ficar constantemente disponível e conectada através de dispositivos móveis. A noção de grupo passa a ser virtual. Cada pessoa passa a ter o seu vídeo game, a sua TV, o seu celular e o seu equipamento de som. Isto muda a forma de comportamento e relacionamento social sobremaneira, já que até então, essas formas de diversão, entretenimento ou comunicação eram coletivas. Ao final do Século XX, a televisão ocupava um lugar central na sala, reunindo a família no que se chamava “horário nobre”. Da mesma forma no início do Século passado, o Rádio e equipamentos de som ocupavam esse lugar. A geração Z dispõe de todos esses dispositivos em equipamentos portáteis que não os prendem mais a lugar nenhum. A sala da família unida em torno da televisão como ironizado na abertura da série “Os Simpsons”, deixa de existir.
     Os indivíduos da geração Z, normalmente são datados como nascidos ao final do Século XX, entre 1990 e 2009. Mas, os gerados no início do Século XXI, independente de outras denominações que possam, ainda ser dadas, mantêm as características da geração Z. (alguns estudiosos já estão chamando os nascidos a partir de 2010 de Geração Alfa).
     Assim, pessoas da geração Z acabam trazendo traços de comportamento das gerações anteriores, aliado a uma forte Responsabilidade Social e preocupação com o meio ambiente e a sustentabilidade do planeta. Já foi dito que a geração Z se parece mais com a geração Y do que os próprios indivíduos da Geração Y. A mudança e evolução da tecnologia estão fazendo nascer uma nova classificação: a Geração M. Com características semelhantes à Geração Z, adicionada a simultaneidade no uso dos dispositivos eletrônicos.
     Semelhante à geração Y, a geração Z não é fiel a marcas, vive em função de inovações tecnológicas e prefere o mundo virtual ao real. A diferença entre ambas as gerações, no entanto, é que se a geração Y precisava se conectar à Internet, para entrar no seu mundo, a geração Z já nasceu conectada. Não há mais a necessidade de um computador. A Internet está presente em todos os seus equipamentos: telefone, notebooks, televisores de última geração e dispositivos portáteis. Conversa com os amigos por SMS (já que o e-mail está fora de moda). Ao invés de usar o celular no ouvido o utilizam à frente dos olhos. São multitarefa e não são fieis a trabalhos ou empregos que não estejam de acordo com suas crenças.
      A geração Z é a encarnação do que a geração Y gostaria de ter sido. Vários adolescentes da geração Y tinham que usar modems, ou acesso discado para “entrar na Internet”. Sempre à frente de um computador Y. A geração Z trata as conexões à Internet como se fossem o fornecimento de eletricidade ou água. Assim como sabem que ao abrir uma torneira a água sai e ao ligar um equipamento em uma tomada, ele funciona, a Internet á algo abundante e disponível. Poucos conheceram uma conexão discada. Na verdade poucos sabem o que significa discar.
     A geração Z será a grande consumidora de tecnologia dos próximos anos. Poucos fabricantes estão atentos a isso. Enquanto todos festejam a geração Y como os consumidores do futuro, é a geração Z que acaba consumindo os gadgets mais badalados e inovadores. A geração Y já está entrando no mercado de trabalho produzindo o que eles não tiveram de gerações anteriores. Grande parte procura empresas de tecnologia para fabricar sonhos inimagináveis anos atrás. E os grandes consumidores dessa fornada será a geração Z.


Acesso em 11.09.2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário